R. Serra de Botucatu, 660 - Sl. 28 - Tatuapé São Paulo/SP   11 2667-0549 / 11 2667-0552 / 11 98948-6595

ENTRE EM CONTATO:

AtendEMOS

De Segunda a Sexta-feira

Das 10:00 às 19:00h.

Joanete - Perguntas frequentes

1. O que é o Joanete?

Joanete é uma deformidade do primeiro dedo do pé, ao nível da articulação que o une ao restante do pé (articulação metatarso-falangeana), na qual forma uma proeminência medial e desvio lateral do dedo. A deformidade é mais corretamente chamada de Hallux Valgus.

 

2. O que é Hallux Valgus?

É o mesmo que joanete. Hallux é o termo em Latim que significa o maior dedo do pé (1º dedo), o chamado dedão do pé, e Valgus a posição que este assume em relação ao eixo longitudinal do corpo, isto é, em valgo (afastando-se do eixo do corpo).

 

3. Qual a causa do joanete?

O principal fator para que ocorra a deformidade do joanete é a hereditariedade (pé plano, herança familiar genética, frouxidão ligamentar familiar) e o segundo, é o uso de sapatos de salto alto e bico fino. Existem ainda outras causas como as doenças degenerativas (artrite reumatóide, artrose, gota) e alterações neurológicas (derrame, paralisia cerebral, trauma medular).

 

4. O joanete só ocorre em pessoas adultas?

Não. A deformidade pode ocorre durante os anos puberais ou na adolescência, e é conhecida como Hallux Valgus Juvenil.

 

5. Quais outras deformidades podem também estar presentes?

Além da deformidade, o paciente com joanete pode apresentar uma calosidade na borda interna do pé (ao lado da articulação desviada) podendo ser dolorosa e incômoda para o uso de alguns tipos de calçados. Também pode apresentar deformidades nos outros dedos do pé e calosidades plantares.

 

6. A dor do joanete pode ser tratada sem cirurgia?

Sim. A modificação do tipo de sapato usado, aumentando a largura e restringindo o uso de bicos finos alivia a pressão sobre a calosidade. O uso de protetores e acolchoamentos também pode aliviar os sintomas. É importante frisar que a deformidade não regride sem o procedimento cirúrgico, apenas a dor e a inflamação da calosidade pode ser aliviada com os meios conservadores.

 

7. Qual o objetivo do tratamento cirúrgico para o joanete?

O objetivo primário do tratamento cirúrgico é aliviar a dor do paciente, restaurando a relação anatômica articular e o alinhamento do dedo.

 

8. Como é feita a anestesia para a cirurgia do joanete?

A anestesia utilizada é o bloqueio realizado ao nível do pé e tornozelo sob sedação do paciente, o que minimiza os riscos e promove um maior tempo de analgesia. Em alguns casos, pode ser feito o bloqueio ao nível da coluna (anestesia raquimedular), principalmente quando a cirurgia for realizada nos dois pés.

 

9. Como é realizada a cirurgia do joanete?

Existem centenas de técnicas cirúrgicas para a correção do joanete. As técnicas mais atuais dispensam o uso do gesso e a retirada de fios de aço após a cirurgia, são mais eficientes e propiciam uma reabilitação mais rápida e menos dolorosa.

 

A técnica de realinhamento articular com corte ósseo (osteotomia) em V (tipo Chevron) é uma das mais utilizadas hoje em dia. Consiste em redirecionar o primeiro dedo (Hallux) através de um corte ósseo e fixação com micro-parafusos. Esses não interferem nas outras estruturas e não necessitam ser retirados posteriormente.

 

10. A cirurgia do joanete pode ser realizada ambulatorialmente?

Sim. Primeiramente é necessária uma avaliação clínica básica para excluir alguns fatores de risco para complicações. Pacientes idosos, fumantes, diabéticos, com história de trombose, alergia a medicações, complicações em cirurgias prévias, doença cardíaca, doença pulmonar ou simplesmente com sensibilidade aumentada para dor requerem maiores cuidados pós-operatórios.

 

Estando o paciente ciente e devidamente avaliado, a cirurgia em regime ambulatorial deve ser feita em bloco cirúrgico hospitalar, com instrumental adequado e sala de recuperação equipada.

 

O paciente só terá alta após sua completa recuperação anestésica, lúcido, deambulando e com presença de familiar ou acompanhante responsável.

 

11. A cirurgia do joanete é muito dolorosa?

Não. As técnicas antigas eram mais dolorosas, pois preconizavam o uso de fios metálicos que permaneciam para fora ou sob a pele até serem retirados e o uso de bota de gesso. Atualmente as técnicas são mais precisas, os instrumentais são mais apropriados e são utilizados micro-parafusos que permanecem dentro do osso, não interferindo nas outras estruturas e não necessitando serem retirados posteriormente. Também não se utiliza a bota de gesso hoje em dia.

 

O bloqueio anestésico é bastante eficaz nas primeiras 12 horas. Além disso, o paciente recebe medicação analgésica e anti-inflamatória suficiente para permanecer confortável nos primeiros dias de pós-operatório.

 

12. Como é o pós-operatório?

Após a cirurgia o paciente é liberado para caminhar somente com a utilização da sandália com apoio no calcanhar (Sandália de Barouk). Curativo é feito na primeira semana e os pontos são retirados após 14 dias. Exames de RX são realizados para visualizar o progresso da consolidação óssea e o realinhamento articular do dedo. Após 45 dias, em média, o paciente é liberado para o uso de calçados de salto baixo até a completa recuperação. Sessões de fisioterapia podem ser necessárias para ajudar a diminuir o inchaço (edema) e ganhar movimento do dedo.

 

A orientação adequada e o seguimento correto pelo paciente no pós-operatório garantem o sucesso do tratamento, diminuindo a chance de resultados insatisfatórios e complicações.

 

13. O pé fica inchado por muito tempo?

O edema pós-operatório diminui gradativamente ao longo do período de cicatrização e consolidação óssea do pé. Após os primeiros 2 meses da cirurgia, o pé pode continuar um pouco inchado ou alternar seu tamanho ao longo do dia, isto ocorre por características próprias e readaptação da circulação sanguínea do pé e também depende da atividade do paciente.

 

14. Quais são as complicações mais comuns na cirurgia do joanete?

Abertura da sutura;

Infecção superficial;

Encurtamento do dedo;

Desvio do corte ósseo;

Não consolidação óssea.

 

15. O joanete pode voltar? Recidivar?

Sim. Sempre existe uma perda mínima da correção após alguns anos da cirurgia. A recidiva completa da deformidade pode ocorrer caso o paciente não siga corretamente as orientações do seu ortopedista. Pacientes jovens são mais propensos a voltar a usar calçado de salto alto e bico fino rotineiramente, promovendo novamente um fator deformante da articulação do dedo.

 

16. Que resultados podem ser esperados da cirurgia do joanete?

Excluindo fatores de risco como: diabetes, doenças reumáticas, fumo, álcool, déficit vascular e outras alterações que influenciariam no pós-operatório, pode-se esperar 90% dos pacientes com bons resultados.

 

Enviando…

Erro.

Enviado.

INSTITUTO REABILITAR

Rua Serra de Botucatu, 660 - Sala 28 - Tatuapé - São Paulo/SP

11 2667-0549 / 11 2667-0552 / 11 98948-6595

Resp. Téc.: Dr. Képler Alencar Mendes de Carvalho - CRM 135804

 

 

© 2018 INSTITUTO REABILITAR - Todos os direitos reservados.

INSTITUTO REABILITAR

Rua Serra de Botucatu, 660 - Sala 28 - Tatuapé - São Paulo/SP

11 2667-0549 / 11 2667-0552 / 11 98948-6595

Resp. Téc.: Dr. Képler Alencar Mendes de Carvalho - CRM 135804

 

 

© 2018 INSTITUTO REABILITAR - Todos os direitos reservados.