R. Serra de Botucatu, 660 - Sl. 28 - Tatuapé São Paulo/SP   11 2667-0549 / 11 2667-0552 / 11 98948-6595

ENTRE EM CONTATO:

AtendEMOS

De Segunda a Sexta-feira

Das 10:00 às 19:00h.

Braquimetatarsia

Os metatarsos são ossos longos e formam o prolongamento anterior do pé, articulam-se isoladamente com cada um dos cinco dedos na sua porção mais distal (ponta do pé) e com quatro ossos do tarso (cuneiforme medial, cuneiforme intermédio, cuneiforme lateral e cubóide).

 

Braquimetatarsia quer dizer “ metatarso curto ” (do grego Brachys = curto). É uma alteração congênita, freqüentemente bilateral (72%) e mais prevalente no sexo feminino (25:1).

 

A braquimetatarsia congênita é uma hipoplasia (diminuição da formação) ocasionada pelo fechamento precoce da cartilagem de crescimento (fise) e envolve principalmente o primeiro, o terceiro e/ou o quarto metatarsos. Isso restringe o desenvolvimento ósseo na infância e torna o metatarso mais curto em relação aos demais na vida adulta.

 

A fórmula metatarsal (estudada por Viladot, Hardy e Clapham) é a linha de relação entre as cabeças dos metatarsos e sua protusão anterior. A braquimetatarsia altera essa fórmula metatarsal e, consequentemente, a distribuição da carga de apoio na região frontal do pé.

 

Dor e calosidades plantares podem estar presentes pela má distribuição da pressão na frente do pé. Também pode ocorrer a elevação do dedo relacionado ao metatarso encurtado, causando desconforto pelo contato dorsal com o calçado.

 

Fatores hereditários da deformidade podem estar presentes em algumas famílias ou associados à síndrome de Down, síndrome de Turner, síndrome de Apert ou osteodistrofia de Albright. A braquimetatarsia também pode ocorrer em conseqüência de traumas, infecções, tumores ou outros acometimentos que resultam no encurtamento metatarsal.

 

Pacientes com encurtamento metatarsal congênito quase sempre não apresentam queixas importantes de dor ou incapacidade funcional. A principal queixa portanto é quanto a forma estética do pé, o que leva a constrangimentos ao usar calçados abertos, chinelos ou andar com os pés descalços.

 

A avaliação da braquimetatarsia é feita através de exames de RX de ambos os pés com apoio e, de forma complementar, com tomografia computadorizada.

 

O tratamento baseia-se nas queixas apresentadas pelo paciente e pode ser feito de forma conservadora ou cirúrgica.

 

O tratamento conservador tem por objetivo distribuir uniformemente a pressão plantar metatarsal e diminuir o contato sobre as proeminências ósseas do pé, minimizando a dor e as calosidades presentes. Para isso, pode-se orientar a mudança do tipo de calçado e adaptar palmilhas moldadas visando o conforto.

 

O tratamento cirúrgico tem por objetivo alongar o osso metatarsal encurtado, melhorando o equilíbrio e a distribuição de carga plantar, além de promover a satisfação do paciente pela restauração estética do pé.

 

Existem várias técnicas cirúrgicas descritas na literatura médica para a correção da braquimetatarsia. As mais utilizadas são os alongamentos, com ou sem enxerto ósseo, concomitante ou não com o encurtamento de outros metatarsos, e o uso de fixadores externos.

 

Enviando…

Erro.

Enviado.

INSTITUTO REABILITAR

Rua Serra de Botucatu, 660 - Sala 28 - Tatuapé - São Paulo/SP

11 2667-0549 / 11 2667-0552 / 11 98948-6595

Resp. Téc.: Dr. Képler Alencar Mendes de Carvalho - CRM 135804

 

 

© 2018 INSTITUTO REABILITAR - Todos os direitos reservados.

INSTITUTO REABILITAR

Rua Serra de Botucatu, 660 - Sala 28 - Tatuapé - São Paulo/SP

11 2667-0549 / 11 2667-0552 / 11 98948-6595

Resp. Téc.: Dr. Képler Alencar Mendes de Carvalho - CRM 135804

 

 

© 2018 INSTITUTO REABILITAR - Todos os direitos reservados.